Blog de Tradução

hospedar-intercambistas-como-faco
28 junho 2017

Já pensou em hospedar intercambistas em sua casa?

A Korn Traduções sempre fala sobre intercâmbio, e um dos assuntos abordados é hospedagem. Uma possibilidade é viajar para ficar em casa de família – opção indicada no primeiro mês de um intercâmbio, até que o estudante se familiarize com o país e conheça outros intercambistas para dividir apartamento.  A hospedagem em casa de família também acontece em programas como au pair e demi pair.  Mas, dessa vez, falaremos sobre o outro lado: o que deve ser feito para receber um intercambista em sua casa.

Por que hospedar intercambistas em minha casa?

Em primeiro lugar, uma das grandes vantagens em abrigar intercambistas é a possibilidade de o anfitrião ter contato com outras culturas e outros idiomas sem sair do seu próprio país, o que pode ser uma ótima opção para quem tem vontade de morar fora, mas, por diversos motivos, não consegue fazê-lo em determinado momento.

Outro ponto a favor é poder conhecer pessoas de diversas partes do mundo, internacionalizando o seu networking e criando possibilidade de ser recebido quando chegar a sua vez de viajar.

ABIPE: respaldo para o anfitrião e para o intercambista

Para fazer com que a sua casa seja aberta aos intercambistas, existe uma associação chamada ABIPE (Associação Brasileira de Intercâmbio Profissional e Estudantil), que possui o programa “Casa de Família”. Para se cadastrar, é necessário preencher um formulário e atender a alguns pré-requisitos que, de acordo com o site da ABIPE, são:

  • O responsável pela moradia deve ter mais de 21 anos;
  • Vontade de receber um estudante vislumbrando o aprendizado e troca cultural;
  • Oferecer um ambiente seguro e em boas condições de higiene;
  • Estar em bairros e cidades que ofereçam facilidade de transporte;
  • A acomodação deve estar preparada para receber o intercambista, tendo cama, colchão e um espaço para guardar os pertences.

Ter o respaldo da ABIPE faz com que tanto o intercambista quanto o anfitrião saibam que estarão seguros um com o outro. E, embora não seja possível que as famílias escolham os candidatos, a Associação tem o cuidado de aproximar os perfis dos estudantes e das famílias, minimizando as possibilidades de conflitos entre ambos. Mas se mesmo assim houver desentendimentos, a ABIPE se responsabiliza pela mudança do intercambista em um prazo de três semanas.

Tanto o valor cobrado ao estudante quanto o tempo disponível de hospedagem ficam a critério da família. A ABIPE, no entanto, sugere que o valor seja apenas uma ajuda de custo e, o período, varie de dois meses a um ano.

Lembrando que a ABIPE pode ser utilizada por famílias que querem receber intercambistas e por estudantes que querem morar em outro país. Caso você seja o estudante, será necessário realizar a tradução juramentada dos seus documentos. Para isso, conte com os tradutores juramentados da Korn Traduções – a sua empresa de tradução.