Saiba como emitir o CIVP - Texto por Korn Traduções

BLOG DE TRADUÇÃO

Saiba como emitir o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP)

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia - CIVP - Por Korn Traduções

Para viajar ao exterior, é importante que os documentos pessoais, como a identidade e o passaporte, estejam dentro da validade. Se estivermos falando de um intercâmbio, também é imprescindível que diplomas e históricos escolares estejam em mãos e, em muitos casos, com a respectiva tradução juramentada (tradução realizada por um tradutor juramentado). Mas um documento igualmente importante – e que nem sempre é lembrado com antecedência pelos viajantes – é o CIVP (Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia).

O que é o CIVP?

No site da Anvisa, CIVP está definido como “documento que comprova a vacinação contra doenças, conforme definido no Regulamento Sanitário Internacional”.

Mas não são todos os países que exigem esse Certificado. Para saber se você precisará do CIVP, consulte o site da Organização Mundial de Saúde, onde há uma lista com essa informação.

Vale ressaltar que, para os brasileiros, o CIVP tem sido exigido apenas como comprovação da vacina contra a febre amarela.

Como emitir o CIVP?

Após ter tomado a vacina, o viajante deverá realizar um pré-cadastro nesse link e comparecer pessoalmente a uma das unidades emissoras do Certificado (consulte os endereços aqui), portando documento de identificação e o cartão nacional de vacinação.

Vale ressaltar que as doses fracionadas da vacina contra febre amarela não são válidas para a emissão do CIVP.

Também deve-se lembrar de que essa vacina precisa ser tomada com pelo menos 10 dias de antecedência ao embarque, período para que a imunização aconteça no organismo.

Assim, se estiver planejando viajar para o exterior, verifique se o país de destino exige o CIVP e já se programe para retirar o seu Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia com antecedência.

E se estiver no exterior e precisar da 2ª via do seu documento e/ou não puder tomar a vacina da febre amarela, é possível consultar, no próprio site da Anvisa, os procedimentos que deverão ser adotados nesses casos.

Além disso, se para a sua viagem você precisar das traduções dos seus documentos, conte com os tradutores profissionais da Korn Traduções: a sua empresa de tradução.[:]

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Korn Traduções

Korn Traduções

Últimos Posts

Siga

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email