Tel.: +55 11 3078-4404 | E-mail: [email protected]

Blog de Tradução

Idioma: professora gringa - por Korn Traduções
19 June 2018

Todo idioma é difícil de aprender. E fácil também!

Inglês é difícil de aprender. Espanhol também. Grego, então… nem se fala! E mandarim? Deve ser impossível! Todo idioma pode ser difícil de aprender. E pode ser fácil também.

A verdade é que não existe uma regra – e vários aspectos determinam se uma pessoa terá facilidade para aprender uma ou mais línguas – a idade, os estímulos, as experiências, a força de vontade, a disciplina.

Quanto mais nova a pessoa começar a estudar um idioma, mais rápido e com maior naturalidade o cérebro vai absorver e entender as informações. Mas isso não significa que seja impossível se tornar fluente em uma língua na fase adulta. Se a pessoa já souber um segundo idioma, provavelmente terá mais facilidade em aprender outras línguas. Viajar para o exterior, ter o hábito e a oportunidade de praticar no dia a dia, estudar diariamente, ler livros, entre tantas outras atitudes, também ajudam a fazer com que a lógica de determinada língua faça sentido e, consequentemente, o conhecimento seja desenvolvido.

Mas vale ressaltar que as diferenças e particularidades de um idioma sempre causarão impacto e poderão, em um primeiro momento, significar obstáculos para o seu aprendizado – mas nada que a familiaridade com a língua não resolva!

Professora gringa questiona o nosso idioma

Um exemplo prático do que estamos falando é o questionamento da professora de inglês Rebecca Jackson-Salado. Norte-americana, ela é especializada em dar aulas de inglês para estrangeiros e está aprendendo a falar português. No entanto, de maneira bem-humorada, publicou alguns vídeos em suas redes sociais criticando a lógica do português. Para ela, não faz sentido que exista feminino e masculino nos adjetivos em português, já que em inglês usa-se a mesma palavra para os dois gêneros. Ela também questiona o plural, o diminutivo e o aumentativo. Sua “indignação” surgiu com as palavras bonito e bonita, pois, além das variações citadas, algo que ela não entende é porque o aumentativo de ambas é diferente. Para mulher, falamos “bonitona”; para homem, “bonitão”. Na concepção dela, o correto deveria ser “bonitono” – palavra, inclusive, que ela criou e utiliza em seu dia a dia de maneira descontraída.

Esses são aspectos que não sabemos explicar, mas que também nunca questionamos, pois eles soam naturais para nós, já que fazem parte da nossa língua nativa. No entanto, começamos a reparar que a nossa língua também não é fácil de aprender quando os “gringos” questionam determinadas regras e características que existem no nosso idioma, mas não no deles.

Não existe idioma mais ou menos difícil de aprender

A gramática, a ortografia, os fonemas e a pontuação sempre irão variar de um idioma para outro. Então, para aprender qualquer idioma sempre será necessário entender a cultura, a origem e as regras daquela língua. Talvez, em um primeiro momento, nem tudo faça sentido. Mas nada como o tempo para tornar as condições do idioma estrangeiro tão naturais quanto são as do seu idioma nativo!

Mas lembre-se que a fluência em um ou mais idiomas não basta para tornar alguém um tradutor profissional. É formação, a técnica e a experiência que capacitam uma pessoa a trabalhar com traduções de maneira profissional. Assim, se a sua intenção for aprender idiomas para outros fins, lembre-se que esse conhecimento, embora fundamental, não é suficiente para a realização serviços de traduções profissionais, sejam elas traduções juramentadas ou traduções livres. Para atender a essa necessidade, conte com a Korn Traduções: a sua empresa de tradução.