Blog de Tradução

Hífen em cargos profissionais - Por Korn Traduções
27 agosto 2019

Utilização do hífen em cargos profissionais

Com a reforma ortográfica, uma das mudanças gramaticais mais polêmicas foi o hífen – talvez pelas variadas regras e exceções de uso.

Muitas pessoas ainda estranham, por exemplo, escrever micro-ondas no lugar de microondas. Da mesma forma, é comum ver a palavra coautor sendo escrita como antes, quando o correto era co-autor.

Nesse artigo, a intenção da Korn Traduções não é falar sobre as regras gerais do hífen, mas sim sobre o seu uso em um caso específico: cargos profissionais.

Por que, afinal, não se usa o hífen ao escrever “assistente administrativo”, mas se usa em “diretor-presidente”?

A resposta é que não se deve utilizar hífen quando tivermos um substantivo e um adjetivo, já que, nesse caso, não estamos formando um substantivo composto com novo significado. Vejam, abaixo, alguns exemplos do que estamos falando:

  • Diretor Adjunto

  • Diretor Financeiro

  • Assistente Administrativo

  • Diretora Associada

  • Auxiliar Técnico

  • Juiz Substituto

  • Diretor Administrativo

  • Gerente Econômica

  • Diretor Executivo

Mas se o cargo for formado por dois substantivos, gerando um substantivo composto com novo significado, deve-se utilizar o hífen. Veja alguns exemplos abaixo:

  • Tesoureiro-Chefe

  • Diretor-Presidente

  • Redator-Chefe

  • Diretora-Superintendente

  • Secretário-Chefe

Em algumas situações, o uso do hífen pode ser opcional. É o caso de “Tesoureiro-Assistente”, já que a palavra “assistente” pode ser considerada adjetivo ou substantivo. No entanto, a recomendação é considerá-la como substantivo, utilizando o hífen ao escrevê-la.

Regras de hífen também valem para cargos societários

A regra é igual para sócios: se estivermos falando de sócio-fundador, sócio-presidente, sócio-torcedor, sócio-contribuinte, deve haver o acento agudo e a preferência pelo hífen, já que, nesses casos, são dois substantivos.

No entanto, se falarmos de sócio patrimonial, sócio honorário, sócio remido, sócio emérito, o acento agudo permanece, mas o hífen preferencialmente some, já que tratam-se de um substantivo e de um adjetivo.

Mas se a palavra sócio ocupar função de adjetivo (redução de SOCIAL), o acento agudo e o hífen somem. Além disso, a palavra vira uma só. É o caso de sociopolítico, sociolinguístico, sociocultural ou socioeconômico.

Exceção da regra em cargos

Por que em Procurador-Geral e Diretor-Geral o hífen é utilizado, mas ele não aparece em Secretaria Geral ou Consultor Geral?

Não há uma regra para isso. Mas no site Língua Brasil há uma explicação, que replicamos aqui para vocês:

“E como o Manual de Redação da Presidência da República, editado em 1991, chancela o uso do hífen – embora ilogicamente – ‘nas palavras compostas em que o adjetivo ‘geral’ é acoplado a substantivo que indica função, lugar de trabalho ou órgão’ (p. 96), o que se pode fazer é manter o hífen nos documentos oficiais quando se está tratando dos tais cargos ou órgãos cuja lei de criação tenha assim estabelecido. No mais, a lógica manda suprimir o hífen: Inspetoria Geral, Secretaria Geral ou Diretora Geral etc. (…)”

Assim, a Korn Traduções sugere que, na dúvida, o dicionário (ou o Google) sejam consultados! 😉

Vale ressaltar que esse tema é de extrema relevância para quem trabalha ou necessita de traduções técnicas para o português, já que referências aos cargos são comuns. Por isso, precisando de traduções juramentadas, traduções técnicas ou traduções livres, conte com os tradutores especializados da Korn Traduções.