Tel.: +55 11 3078-4404 | E-mail: [email protected]

Blog de Tradução

Tradução Médica - Por Korn Traduções
28 August 2018

Tradução médica de RRP: processo criterioso que exige validação dos órgãos reguladores da área

Já parou para pensar na quantidade de informação, treinamento e capacitação necessários para a formação de tradutores profissionais? Não basta fluência nos idiomas de origem e de destino de suas traduções; é necessário ainda um vasto conhecimento e expertise na sua área de atuação. A boa tradução considera os aspectos técnicos, regionais e terminológicos de cada tradução. A adaptação de expressões e terminologias para o idioma de destino é indispensável.

Se essa máxima é válida para traduções livres, como textos de sites e currículos, ela se torna ainda mais relevante quando o assunto é a tradução médica.

É por isso que, nas traduções médica, os órgãos reguladores da área são criteriosos ao validar uma tradução, principalmente quando se fala do chamado RRP (Resultados Relatados pelo Paciente): “Independentemente de o instrumento ter sido desenvolvido simultaneamente em várias culturas ou línguas ou de um instrumento totalmente desenvolvido ter sido adaptado ou traduzido para novas culturas ou línguas, recomendamos que os apoiadores forneçam evidências de que a validade de conteúdo e outras propriedades de medida são adequadamente semelhantes entre todas as versões utilizadas no ensaio clínico. Examinaremos o processo utilizado para a tradução e adaptação cultural do instrumento para populações que irão utilizá-lo no ensaio”.*

Etapas das traduções médicas

Ainda dentro do RRP, as traduções passam por sete etapas. São elas**:

  1. O idealizador do instrumento original deve autorizar as traduções evitando modificações que possam prejudicar a integridade do documento;
  2. Etapa Progressiva: as traduções para a língua de destino deve ser realizada por dois tradutores independentes e, depois, deve ser feita a reconciliação em uma versão;
  3. Etapa Regressiva: a tradução da versão reconciliada é feita de volta para a língua original do documento;
  4. Revisão da versão reconciliada com a participação do idealizador do documento original;
  5. Etapa da Entrevista Cognitiva: teste em um grupo de pacientes que vivem no país onde o instrumento será utilizado;
  6. Revisão do teste por especialistas;
  7. Finalização da versão traduzida do documento.

Sobre a etapa 5, deve-se levar em conta a cultura e o clima ambiental dos pacientes: “Por exemplo, ir ao mercado/fazer compras pode ser um problema em muitos países, mas não tanto nos Estados Unidos, onde a maioria das pessoas dirige; em países tropicais, os asmáticos não têm que lidar com neve e ventos gelados (…) no Pediatric Asthma Caregiver’s Quality of Life Questionnaire (PACQLQ, Questionário de Qualidade de Vida de Cuidadores de Crianças com Asma), que foi desenvolvido no Canadá, os cuidadores relataram ficar ‘zangados’ pelo fato de a criança ter asma. Portanto, esse conceito foi incluído no PACQLQ original. Porém, em vários países do mundo, essa não é uma emoção comumente experimentada pelos cuidadores – em vez disso, eles ficam ‘tristes’. Versões traduzidas do PACQLQ incluem esse conceito de tristeza”.***

Essas etapas garantem que as traduções de terminologias e conceitos médicos sejam validados e, consequentemente, entendidos internacionalmente, garantindo a correta interpretação das informações.

A indispensável revisão na tradução médica

Além disso, se a etapa de revisão é importante em qualquer tradução, na tradução médica ela é ainda mais indispensável, uma vez que ajuda a atender às exigências dos órgãos reguladores, diminuindo as chances não apenas da tradução ser invalidada, mas, principalmente, de informações erradas serem transmitidas.

Essas etapas elucidam bem a necessidade de que as traduções sejam feitas por tradutores profissionais, competentes e capacitados.

Por isso, precisando de tradução técnica ou tradução juramentada, conte com os tradutores especializados da Korn Traduções: a sua empresa de tradução.

———————————————————————————————————————————————————-

*Orientação do U.S. Food and Drug Administration

**Trecho extraído do artigo “Tradução de medidas de resultados relatados pelo paciente: um processo composto de várias etapas é essencial”, com autoria de Catherine Acquadro, Ana Bayles e Elizabeth Juniper

***Trecho extraído do artigo “Tradução de medidas de resultados relatados pelo paciente: um processo composto de várias etapas é essencial”, com autoria de Catherine Acquadro, Ana Bayles e Elizabeth Juniper